MÚSICA DE BABILÔNIA: CUMPRIMENTO PROFÉTICO DE DANIEL 3: 10 A 13


A Música de babilônia-História em Daniel 3: 10 a 13.

            Leia a história da falsa adoração estipulada por   Nabucodosor e considere os seguintes pontos:

  • O Rei mandou trazer a liderança para a adoração.(O sistema de falsa adoração deve começar sempre pela liderança para ter sucesso)
  • Os líderes atenderam ao chamado. (Quando o Rei da Babilônia chama, os líderes do mundo todo obedecem).
  • Mesmo que todos estavam disponíveis para o rei da Babilônia, havia o momento certo para a falsa adoração se oficializar.
  • A Música certa seria tocada como sinal para que a falsa adoração fosse executada por toda a liderança babilônica.

       Daniel 3:2  Então, o rei Nabucodonosor mandou ajuntar os sátrapas, os prefeitos, os governadores, os juízes, os tesoureiros, os magistrados, os conselheiros e todos os oficiais das províncias, para que viessem à consagração da imagem que o rei Nabucodonosor tinha levantado. 3  Então, se ajuntaram os sátrapas, os prefeitos, os governadores, os juízes, os tesoureiros, os magistrados, os conselheiros e todos os oficiais das províncias, para a consagração da imagem que o rei Nabucodonosor tinha levantado; e estavam em pé diante da imagem que Nabucodonosor tinha levantado. 4  Nisto, o arauto apregoava em alta voz: Ordena-se a vós outros, ó povos, nações e homens de todas as línguas: 5  no momento em que ouvirdes o som da trombeta, do pífaro, da harpa, da cítara, do saltério, da gaita de foles e de toda sorte de música, vos prostrareis e adorareis a imagem de ouro que o rei Nabucodonosor levantou. 6  Qualquer que se não prostrar e não a adorar será, no mesmo instante, lançado na fornalha de fogo ardente. 7  Portanto, quando todos os povos ouviram o som da trombeta, do pífaro, da harpa, da cítara, do saltério e de toda sorte de música, se prostraram os povos, nações e homens de todas as línguas e adoraram a imagem de ouro que o rei Nabucodonosor tinha levantado.

Sobre a música de Babilônia, o texto bíblico nos diz que ela foi utilizada como um sinal de que estava na hora de todos se ajoelharem e adorarem a imagem.

O livro de Daniel é um livro simbólico e profético e não refere-se apenas aos dias de Daniel, mas traça um paralelo com o livro de Apocalipse onde uma imagem será levantada, proclamando um falso esquema de adoração, onde todos os povos da Terra serão convocados a adorar!

Há vários simbolismos e experiências do livro de Daniel que encontram um equivalente no livro de apocalipse:

Daniel Apocalipse
Rei da Babilônia – Daniel 2:36 a 38.(Que domina sobre tudo). Um reino universal representado pela mulher que domina sobre os reis da Terra/ Rei de Reis.(Apocalipse 17:18; Apocalipse 17:5)- Babilônia a Grande Meretriz.
O Rei fez uma grande imagem. (Daniel 3:1) Será levantada uma grande imagem.  Apoc. 13:15; 14:9;
A imagem media 60+6= 66 côvados. (Daniel 3:1) Um número da Besta- 666: Apocalipse 13:17; Apocalipse 13:18 –   
Uma imagem levantada no Campo de Dura na província de Babilônia, acompanhada de um decreto de morte para quem não a adorasse: Daniel 3:1;6 Uma imagem e um decreto de morte: Apocalipse 13:15;
Um lugar
Joel 3:12 ;
Apocalipse 16:16  Então, os ajuntaram no lugar que em hebraico se chama Armagedom. Armagedom =” a colina ou cidade de Megido”
Daniel 3: 2,3;7. Todos deveriam adorar a imagem? O povo adorava através dos seus representantes (?) Apocalipse 13: 15-17.
Domina sobre os reis da Terra.
Apocalipse 17:18;18:3; 18:9; 19:19;
A Música de Babilônia: Daniel 3:4 ;5 O arauto apregoava … a música certa seria tocada…

A música estava envolvida no conflito… fazia parte do Ritual

Daniel 3: 5-7.

A Música de Babilônia Apoc.18:22.
Alguns homens resistiram e não curvaram seus joelhos à imagem. Daniel 3:8 a 12. Alguns não irão prostar-se diante da imagem!
Estes estarão com Deus no monte Sião!
Apocalipse 14:1 a 5.

Nota: Seguem abaixo, informações sobre o lugar- Megido.

Sobre o Vale de Josafá pense: (Mais Informações sobre o vale de Josafá: Texto de Hans K. LaRondelle, TH.D, -CURSO DE EXTENSÃO ANDREWS Sobre o Vale de Josafá).

Neste texto, Hans K. LaRondelle faz o seguinte comentário:

Deus está supervisionando tudo. Todos estes poderes rebeldes se ajuntarão no lugar que em hebraico se chama Armagedom. O termo “Armagedom” não aparece no Velho Testamento. O Espírito Santo criou esta palavra para nos dar uma chave. Todos concordam que Armagedom identifica-se com Joel 3, onde o lugar em que estão os ímpios é chamado Vale de Josafá. Este é o fundamento do Velho Testamento.

Vamos ver o que significa este termo. “Armagedom” quer dizer Monte da Matança, monte da destruição, monte da maldição. Está em oposição ao Monte da Bênção, Sião.

“Megido” em hebraico significa “monte. E monte não é a mesma coisa que Vale, mas os dois estão sempre juntos. Para haver vale é preciso haver monte. Temos que encontrar uma explicação teológica. Matemática e Geografia não são Teologia.

Megido é uma palavra do Velho Testamento que já é transliterada como Magedom, significando matança. Houve uma batalha em Megido (Juízes 4 e 5) quando morreu o Faraó Neco e todos os inimigos de Israel foram vencidos. Megido é um tipo do Monte da Maldição

Porque Deus escolheu a figura do Vale de Josafá?

A pergunta é: Porque a figura do Vale de Josafá é usada?

A guerra em que Josafá (Rei de Judá, descendente do trono de Davi) venceu no vale aos seus inimigos que o cercavam…

II Crônicas 20:1 a 30.

Josafá confrontou seus inimigos (inimigos do povo de Deus) no vale, II Crônicas 20:15,16.

A vitória só veio com a consagração do povo de Deus e quando os seus sacertodes cantores levitas, consagrados louvaram ao Senhor! II Crônicas 20:18 a 22.

Seria Coicidência que o convite de Deus para Seu povo na mensagem do primeiro anjo seja:

“Temei a Deus e dai-lhe glória, pois é chegada a hora do seu juízo; e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas. “- O Tema é adoração!- Apoc.14:7.

A Mensagem do segundo anjo é: “Caiu a grande Babilônia”! – Sendo que Babilônia é a responsável pela idolatria…(Apoc.18:2,3), a mensagem mais uma vez é pra não misturar-se com a Babilônia e consequentemente com a idolatria promovida por ela!

A mensagem do terceiro anjo tem a ênfase:  na destruição daqueles que adoram a besta e a sua imagem… trazendo uma mensagem de esperança e conforto para o povo fiel que guarda os mandamentos de Deus e a fé em Jesus. (apocalipse 14: 9,10, 12.

Com certeza Satanás buscará infiltrar um falso culto dentro das nossas igrejas onde mesmo possa ser adorado!

  • Sua música tem entrado dentro da igreja, quando compositores mundanos compõem para cantores cristãos!
  • Quando as músicas seguem um padrão estrutural que não estão de acordo com as instruções divinas!
  • Quando o “astro” da música e suas opiniões ocupam o lugar de Deus na vida de jovens, adolescentes e adultos!
  • Quando cantar ou ouvir a música que agrada somente os sentidos torna-se mais importante que agradar a Deus!

A grande imagem está sendo erguida, os ensaios musicais já estão sendo feitos! A música de Babilônia tocará mais alto e muitos (provavelmente a maioría) se curvarão diante desta imagem ao som de toda sorte de instrumentos!

E você? Que decisão vai tomar?

Fará parte deste grande ECUMENISMO musical?

Adna Calson

Anúncios
Publicado em Sem categoria

PONTO E CONTRAPONTO DO USO DA BATERIA NA IGREJA


Algum tempo atrás li no site advir um artigo do pastor Yuri Raven sobre o uso de bateria na igreja onde (não sei se entendi bem, mas a impressão que tenho é que ele faz apologia ao uso da mesma (http://www.advir.com.br/sermoes/sermoes_c_usodabateria.asp).

Com base nos estudos que eu já tinha feito na Bíblia sobre o assunto, decidi expor aqui o ponto e o contra ponto de cada um dos argumentos usados por ele na ocasião.

O Uso de Bateria como Instrumento Musical na Igreja é Pecado?

Ponto: Pr. Yuri Ravem

A percussão era usada no templo do Antigo Testamento?

Bíblia:(Sim)

Devido à polêmica deste assunto, o objetivo deste artigo é responder às seguintes perguntas: a percussão era usada no templo do Antigo Testamento? A Bíblia e o Espírito de Profecia proíbem o uso de percussão?

Definição: A bateria pode ser definida como “os instrumentos de percussão de uma banda de música ou de uma orquestra” ( Dicionário Brasileiro Globo, 50ª. ed. ). Em outras palavras, bateria ou percussão se referem aos vários instrumentos que marcam o ritmo ou andamento musical, com timbres, tons e formas variadas. Uma bateria pode ser muito bem ilustrada pelos instrumentos de uma fanfarra. Exemplos de instrumentos de percussão: bumbo, caixa, pratos (címbalo), etc.

A Bateria no Templo do Antigo Testamento

Em II Crônicas 29:25 (ver também I Crônicas 25) temos a seguinte descrição dos instrumentos do templo: “Também estabeleceu os levitas na Casa do Senhor com címbalos, alaúdes e harpas, segundo o mandado de Davi…”

Alaúde e harpa são instrumentos de corda, todavia, címbalo é um instrumento de percussão, segundo o Dicionário Bíblico Adventista, pág. 254. Note a descrição deste instrumento: “Dois tipos de címbalos têm sido achados pelos arqueólogos. Um destes tipos consiste em dois pratos achatados, feitos de metal, que eram batidos um no outro de forma ritmada; o outro tipo consiste em duas espécies de conchas, batida uma na outra” (R. N. Champlin, Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia, vol. 4. Pág.426).

Hoje os címbalos são usados na bateria convencional como ximbal (pratos sobrepostos) e pratos de vários timbres e formas.

Em Salmos 150 temos o convite ao louvor e adoração a Deus com vários tipos de instrumentos: “Louvai-O ao som da trombeta; louvai-O com saltério e com harpa. Louvai-O com adufes e danças; louvai-O com instrumentos de cordas e com flautas. Louvai-O com címbalos sonoros; louvai-O com címbalos retumbantes” (versos 3 a 5).

Podemos concluir que havia instrumentos de percussão que eram usados na música do templo, escolhido por orientação divina para o louvor e adoração.

A Bíblia ou Espírito de Profecia Proíbem a Bateria (?)

Como notamos a Bíblia não proíbe o uso de bateria, pois no templo, havia instrumentos de percussão.

Sobre instrumentos musicais, E. G. White, inspirada por Deus, escreveu: “Nas reuniões realizadas, escolha-se um grupo de pessoas para tomar parte no serviço de canto. E seja este acompanhado por instrumentos de música habilmente tocados. Não devemos opor ao uso de instrumentos musicais em nossa obra. Esta parte do serviço deve ser cuidadosamente dirigida; pois é o louvor de Deus em cântico” (Testimonies, vol. 9, págs. 143 e 144; citado no Manual da Igreja, edição revisada em 2000, pág. 72).

Uma vez que não há nenhum texto no Espírito de Profecia que condene o uso de bateria ou percussão como instrumento a ser usado no louvor (ou qualquer outro instrumento) pode-se afirmar o seguinte: a ênfase não é qual o instrumento a ser usado, mas como ele é usado. A recomendação é ser habilmente tocado, e é claro, nos princípios bíblicos.

O Espírito de Profecia nos fornece ampla informação concernente à música de louvor e adoração, com princípios inspirados tanto para o canto como para o tipo de música a ser ouvida e executada, mas não proíbe o uso de percussão.

Contraponto: Adna S.Calson

A percussão era usada no templo do Antigo Testamento?

Bíblia:(Sim), mas nem todos os instrumentos de percussão, apenas um. (címbalos).

Há uma confusão entre o que é bateria e o que é percussão. Não são sinônimos!

“Bateria é um conjunto de instrumentos de percussão, tocados por um só instrumentista, que faz parte da seção rítmica de um conjunto musical. Compõe-se basicamente de um bombo, com uma das faces voltada para o baterista; um tarol, dotado de cordas ou bordões de metal; uma caixa; dois pratos simples, um a cada lado do baterista, e um prato duplo, suspenso por um dispositivo dotado de pedal.” ©Encyclopaedia Britannica do Brasil Publicações Ltda.

Existem instrumentos de percussão que não compõem a bateria. Em síntese: a bateria pertence ao conjunto da percurssão.- Então o Templo, jamais teve uma bateria ou um conjunto de instrumentos rítmicos que se assemelhassem a ela.

· Deus permitiu o uso de apenas 1 tipo de instrumento de percussão dentro do templo. (címbalos).

II Crônicas 29:25 explicitamente afirma que o rei Ezequias “dispôs os levitas na casa do Senhor com címbalos, alaúdes e harpas conforme a ordem de Davi, e de Gade, o vidente do rei, e do profeta Natã; porque esta ordem viera do Senhor, por meio de seus profetas”. o autor de Crônicas afirma que estes instrumentos:címbalos, harpas e liras e as trombetas (Num 10:2), não estava baseado no gosto pessoal do rei, mas em uma ordem “do Senhor”.

· Davi instituiu o tempo, o lugar, e as palavras para a apresentação do coro levítico e fez os instrumentos musicais para serem usados no ministério deles (I Crônicas 23:5; II Crônicas 7:6). É por isso que eles são chamados “os instrumentos de Davi” (II Crônicas 29:26-27), mas a ordem veio de Deus. Assim como a lei não é de Moisés, é de Deus.

· Quando Deus estabeleceu o ministério dos levitas cantores, (depois da tentativa frustrada de Davi pra trazer a arca pra Jerusalém- I Cr. 15: 2 a 16) não permitiu que Davi continuasse utilizando “toda sorte de instrumentos” no serviço sagrado. Observe algumas características da primeira tentativa de transporte da arca ( II Samuel 6:1 a 10; I Crônicas 13:1 a 13) em contraste com o sucesso da segunda tentativa.(I Cr.15:2-28).

Observe o quadro comparativo abaixo:

1ª Tentativa

2ª Tentativa

Davi não tinha buscado ao Senhor (1 Cr. 15:13)

Davi buscou ao Senhor (1 Cr.15: 2; Dt.10:8)

Arca levada no carro de bois (1 Cr. 13:7)

A arca foi levada pelos levitas. (1 Cr.15:26)

Não tinha recebido ainda orientação sobre o ministério dos levitas.

Recebeu orientação.

(1 Cr. 15: 16-23)

Por não ter orientação, usou toda sorte de instrumentos.(2 Sm.6:5) harpas,saltérios,tamboris, pandeiros e címbalos.

Usou apenas instrumentos músicos de Deus ( sem saltérios tamborins e pandeiros) e estabeleceu definitivamente os instrumentos músicos do templo .( 2 Sm. 6:15; 2 Cr.15:28; 2 Cr. 7:6; 2 Crônicas 5:13;Neemias 12:36

Pegando a figura do templo como modelo normativo (assim como o pastor Yuri o fez) para o povo de Deus de hoje, pois Deus não mudou. (Tiago 1:17).

Deus excluiu do serviço do templo os instrumentos de percussão em forma de tambores, e levando em consideração que a bateria tem não é composta apenas dos decendentes dos antigos címbalos, mas tem também os descendentes dos tamborins e pandeiros, (que foram excluídos do serviço sagrado por Deus) ela é imprópria para o uso na adoração.

Ellen G. White inspirado por Deus chamou o que vemos hoje dentro da igreja de coisas estranhas:

A Música Torna-se um Laço

As coisas que descrevestes como tendo lugar em Indiana o Senhor revelou-me que haviam de ter lugar imediatamente antes do fim do tempo da da graça.Demonstrar-se-á tudo quanto é estranho. Haverá gritos com tambores, música e dança. Os sentidos dos seres racionais ficarão tão confundidos que não se pode confiar neles quanto a decisões retas. …

Uma balbúrdia de barulho choca os sentidos e perverte aquilo que, se devidamente dirigido, seria uma bênção. As forças dos agentes satânicos misturam-se com o alarido e barulho, para ter um carnaval, e isto é chamado de operação do Espírito Santo. … Essas coisas que aconteceram no passado hão de ocorrer no futuro. Satanás fará da música um laço pela maneira por que é dirigida. Mensagens Escolhidas, vol. 2, págs. 36 e 38. (Eventos Finais, Enganos Satânicos nos Últimos Dias, pág.159)

Publicado em Sem categoria

Porque Sou Contra o Uso da Bateria Dentro da Igreja Adventista?


Porque Sou Contra o Uso da Bateria Dentro da Igreja Adventista?

Em algumas ocasiões algumas pessoas já me fizeram esta pergunta.

Teve um rapaz que me perguntou se era porque a bateria reporta à cultura negra e se isto não é uma expressão de racismo.

Vejamos antes da minha resposta:

Um Breve Histórico Sobre a Bateria

A origem da bateria se encontra nos grandes instrumentos de percussão dos negros africanos, modificados e adaptados à música produzida no continente americano, especialmente o jazz.

Bateria é um conjunto de instrumentos de percussão, tocados por um só instrumentista, que faz parte da seção rítmica de um conjunto musical. Compõe-se basicamente de um bombo, com uma das faces voltada para o baterista; um tarol, dotado de cordas ou bordões de metal; uma caixa; dois pratos simples, um a cada lado do baterista, e um prato duplo, suspenso por um dispositivo dotado de pedal.

De sua função primitiva, que era apenas marcar os tempos, a percussão evoluiu junto com a música afro-americana. Desde os primeiros grupos de King Oliver, na década de 1910, a bateria pode ser vista como o elemento mais constante e característico dos conjuntos de jazz. A partir de 1920, graças à improvisação própria da execução jazzística e ao talento de alguns percussionistas, a bateria emancipou-se e adquiriu uma autonomia que a igualou em importância aos instrumentos da seção melódica.

  • De certa forma podemos afirmar que a bateria não é um instrumento musical, pois a mesma não possui a capacidade de produzir melodia.
  • Dos instrumentos que compôem a bateria, podemos identificar apenas um que se assemelha ao címbalo bíblico e que permaneceu no templo depois que Deus deu as devidas orientações a Davi e aos profetas de sua época sobre o serviço musical do templo.
  • Destacando ainda que fora do templo ficaram os tambores e demais instrumentos de percussão.

No começo da década de 1940, o surgimento do be-bop causou uma revolução nas concepções rítmicas, que teve como conseqüência principal proporcionar aos instrumentistas grande liberdade de invenção. Para os bateristas, essa foi a fase da experiência polirrítmica, depois da qual alguns conjuntos passaram a prescindir da bateria e a priorizar, na seção rítmica, o contrabaixo. Com o rock and roll, a bateria retomou sua função de marcação explícita.

©Encyclopaedia Britannica do Brasil Publicações Ltda.

Todavia, voltemos à pergunta inicial: “Porque não o uso da bateria dentro da igreja adventista?”

Por algumas razões bíblicas óbvias e não apenas pelos fatos históricos mencionados acima.

  • Devemos fazer diferença entre o que é santo e o que é profano. (Ezequiel 22:26  Os seus sacerdotes transgridem a minha lei e profanam as minhas coisas santas; entre o santo e o profano, não fazem diferença)
  • Porque Deus nao permitiu instrumentos musicais com tambores no templo. Isto é no mínimo uma “dica” de que Ele prefere os cânticos sem tambores (e não existe bateria sem tambores). (Ver: II Crônicas 29:25 e 26)
  • Finalizo a resposta com o estudo bíblico sobre música. Veja: https://musicadventismo.wordpress.com/2005/11/06/estudo-biblico-sobre-musica/
  • O manual da igreja adventista:
  • Grande cuidado deve ser exercido na escolha da música. Toda melodia que pertença à categoria do “JAZZ”, “ROCK” ou suas formas correlatas, e toda expressão de linguagem que se refira a sentimentos tolos ou triviais, serão evitadas pelas pessoas verdadeiramente cultas. Usemos apenas a boa música, em casa, nas reuniões sociais, na escola e na igreja. A MÚSICA (Manual da Igreja pág.172)
  • Os marcos antigos da Igreja adventista deveriam ser mantidos! (Provérbios 22:28) Hoje podemos ouvir dentro da igreja “hinos” com “cara” de” rock romântico” e “jazz”, antes do sermão. Se você entende um mínimo de música, já leu as orígens do rock e já ouviou as primeiras composições de Rock romântico, sabe que essa afirmação é verdadeira!
  • Você consegue ver alguma razão pela qual a bateria não deveria ser usada dentro da igreja?
1. Pela Bíblia, sabemos que se ela existisse no passado, teria ficado de fora do templo.
2. Ela não é melodiosa.
3. Ela reporta ao jazz e rock, sons profanos que exaltam a glória humana e suas paixões. (Diferença entre santo e profano)
4. Ela não era aceita anteriormente pela igreja (Marcos antigos).
5. Ela não deveria ser tão importante ao ponto de causar divisões dentro da igreja.(1 Coríntios 8:13  E, por isso, se a comida serve de escândalo a meu irmão, nunca mais comerei carne, para que não venha a escandalizá-lo.)
6. Alguns que a defendem, nem têm certeza do que estão defendendo, estão na dúvida se é correto ou não porque não estudaram a Bíblia sobre o assunto! (Romanos 14:22).
Estes são alguns pontos que me indicam que este instrumento não deveria permanecer dentro da igreja! Não é demonização do instrumento, assim como não existe demonização da maconha, do cigarro, do álcool, mas, a obra que os mesmos podem fazer na vida de um ser humano!
Lembre-se!
Na dúvida, não ultrapasse!
Publicado em Música na Igreja Advetista, Sem categoria

A Música do Céu


Os Justos e a Música do Céu- Textos de Ellen G.White

Então os justos receberão sua recompensa. Sua vida correrá paralela à vida de Jeová. Lançarão suas coroas aos pés do Redentor, tangerão as harpas de ouro e encherão todo o Céu de bela música. Signs of the Times, 15 de abril de 1889.

E devemos entrar no Céu aqui embaixo, ou nunca entraremos no Céu do futuro. Exatamente aqui, na Terra, devemos começar a viver a vida de Cristo, e então ela será um Céu para você e um Céu para aqueles que se relacionam com você. … E por fim você verá o Rei em Sua beleza, contemplar-Lhe-á os incomparáveis atrativos e, tangendo a harpa de ouro, encherá o Céu com melodiosa música e cânticos ao Cordeiro. Manuscrito 97, 1906., Meditação Matinal, Cristo Triunfante, 2002, 26 de julho, pág.213.

Ensinai vossos filhos a glorificarem a Deus, não para agradarem a si mesmos. Eles são Seus filhos – Seus [dEle] pela criação e pela redenção. Ensinai-lhes a desprezarem os divertimentos e as loucuras desta época degenerada. Conservai sua mente pura e santa à vista de Deus. … Louvai a Deus. Que vossa conversação, vossa música, os vossos hinos, tudo louve Aquele que tanto fez por nós. Louvai a Deus aqui, e então estareis preparados para vos reunirdes ao coro celestial, quando entrardes na cidade de Deus. Então podereis lançar vossa brilhante coroa aos pés de Jesus, tomar vossa harpa de ouro, e encher todo o Céu com melodia. Nós O louvaremos com uma língua imortal. Manuscrito 16, 1895. (Meditação Matinal, O Cuidado de Deus, 1995, 8 de fevereiri, pág. 53)

Para cada um há uma coroa que traz o seu “novo nome” (Apoc. 2:17), e a inscrição: “Santidade ao Senhor.” Em cada mão são colocadas a palma do vencedor e a harpa resplandecente. Então, ao desferirem as notas os anjos dirigentes, todas as mãos deslizam com maestria sobre as cordas da harpa, tirando-lhes suave música em ricos e melodiosos acordes. Indizível arrebatamento faz vibrar todo coração, e toda voz se ergue em grato louvor: “Àquele que nos ama, e em Seu sangue nos lavou dos nossos pecados, e nos fez reis e sacerdotes para Deus e Seu Pai; a Ele glória e poder para todo o sempre.” Apoc. 1:5 e 6. O Grande Conflito, págs. 645 e 646.

Os que se… colocam nas mãos de Deus… verão o Rei em Sua formosura. Contemplar-Lhe-ão a incomparável beleza, e tocarão suas harpas de ouro e encherão os Céus de maravilhosa música e de cânticos ao Cordeiro. Review and Herald, 15 de junho de 1905.

Vi então um inumerável exército de anjos trazerem da cidade gloriosas coroas com nomes escritos, uma para cada santo. Pedindo Jesus as coroas aos anjos, apresentaram-nas a Ele, e com Sua própria destra o adorável Jesus as colocou sobre a cabeça dos santos. Do mesmo modo, os anjos trouxeram as harpas, e Jesus as apresentou também aos santos. Os anjos dirigentes desferiram em primeiro lugar o tom, e então todas as vozes se alçaram em louvor grato e feliz, e todas as mãos deslizaram habilmente sobre as cordas da harpa, originando uma música melodiosa, com acordes abundantes e perfeitos. … História da Redenção, págs. 413 e 414.

Publicado em Sem categoria

Leituras Boas Sobre Música Cristã


Publicado em Livros

Estudo Bíblico Sobre Música


Estudo Bíblico Sobre a Música

1º) A música é uma expressão da mente e do corpo. Que princípios bíblicos podemos aplicar ao louvor à Deus através da música? ICor.6:20. R:Devemos glorificar a Deus no nosso corpo.

2º) Como devem ser os hinos entoados à Deus ? Efésios 5:19. R:Devem ser espirituais. 3º) Que princípio é necessário em nosso coração ao entoarmos cânticos de louvor ao nosso Deus? Colossenses 3:16. R: Gratidão.

Há diferença entre sentimento e princípio. Sentimento é uma emoção que você sente em um determinado momento e depois passa e esquece. Princípio é algo que te acompanha por toda a vida. Exemplos de Sentimentos: alegria, raiva, tristeza, etc. Exemplos de Princípios: veracidade, honestidade, bondade e estes podem ser acompanhados por sentimentos. Isto acontece quando você sente uma alegria muito grande ao devolver o dinheiro que alguém perdeu.! Por outro lado, um sentimento pode se transformar em um princípio, desde que ele passe a ter prioridade na vida de uma pessoa. Por exemplo: Uma pessoa que sente uma tristeza muito grande, pode se transformar em uma pessoa triste, e daí a tristeza passa a fazer parte de tudo que é e que faz, não importa os momentos felizes que ela tenha, continuará sendo uma pessoa triste.A gratidão que expressamos em nossos cânticos de louvor, não deveriam ser meramente um sentimento, mas um princípio!

4º) Como os verdadeiros adoradores adoram ao Senhor? João 4:24. R: Em espírito e em verdade. (ou seja com o coração e com a mente)

5º) Se nós precisamos estar incontaminados do mundo,( Tiago 3:11,12; 1:27; 4:4) como deve m ser nosso vestuário, nossa comida, nossos relacionamentos e até a nossa música? R:

6º) Como devem ser as palavras proferidas pelos que cantam? I Cor. 14:9,19. R:

7º) Que estilo musical seria apropriado para o culto? I Cor.10:23,31-33. R:

 8º) Quais os riscos que corremos ao fazermos algo que cause escândalo aos nossos irmãos? Lc.17:1-2; I Cor. 8:13. R:

9º) No culto estão envolvidos aspectos emocionais e racionais (coração e mente) (1 Coríntios 14:15) e tudo que vamos fazer devemos utilizar as duas partes. Existe uma parte que predomina sobre a outra? Rom. 12:1. R:

 

Você pode falar uma verdade com emoção ou sem emoção, no final das contas o que importa mesmo é se você falou a verdade. É claro que ênfase e emoção pode dar credibilidade à mensagem, mas este não é o ponto mais importante. Algumas pessoas se emocionam e choram em troca de dinheiro, ou simplesmente pelo prazer de representar (atores), mas que grande importância tem essas mensagens emocionantes que vemos sendo interpretadas, se elas não nos levam para mais perto de Deus?

 

10º) Não seria bom que conhecêssemos as coisas que aprovamos (inclusive a música) e que não tivéssemos dúvidas sobre o assunto? Rom.14:21,22…. Bem-aventurado é aquele que não se condena naquilo que aprova.

11º) Mas é verdade que o povo no passado dançava ao som dos tambores para louvar a Deus? Salmos 150:4; I Tess.5:20;II Samuel 6:5-7. R:

12º)Quais os instrumentos musicais eram utilizados pelos israelitas ao louvarem a Jeová? Êxodo 15:20; II Samuel 6:5-7.

13º) Existe alguma orientação direta de Deus quanto aos instrumentos musicais que poderiam ser usados nos cânticos em Sua honra? II Crônicas 29:25 a 28.

Veja a tabela comparativa dos acontecimentos que antecederam as ordens de Deus sobre os instrumentos musicais que deveriam ser utilizados no serviço do templo.

 Compare o antes e o depois no que diz respeito ao transporte da arca feita por Davi, e o antes e depois dos instrumentos utilizados por ele.

Antes

Instrumentos Musicais– Toda sorte de instrumentos musicais de pau de faia, harpas, saltério,tamborins, pandeiros e címbalos. II Samuel 6:5 

Orientações: Não tinham recebido orientações sobre o serviço de cântico.

Davi: Consultou apenas os capitães e os príncipes. I Crônicas 13:3

A Arca: Foi levada em um carro de boi. (1 Crônicas 13:7)

Obediência: Davi não buscou ao Senhor para saber como o Senhor tinha orientado.(1 Crônicas 15:13)

Depois

Instrumentos Musicais– Ao som das trombetas, clarins e címbalos (sem saltério, tamborins e/ou pandeiros) II Samuel 6:15;I Crônicas 15:28

Orientações: Receberam instrução sobre o serviço de cântico.(I Crônicas 15:1-23)

Davi: Consultou os sacerdotes. I Crônicas 15:11-13.

A Arca: Foi levada pelos levitas. (1 Crônicas 15:26)

Obediência: 1 Crônicas 15:2- Davi reconheceu a necessidade da arca ser levada como o Senhor ordenara.( Deuteronômio 10:8) 14º)

Os mandamentos que foram dados nesta ocasião foram dados por quem? 2 Crônicas 29:25… este mandado veio do SENHOR, por intermédio de seus profetas. R:

 

Da mesma forma em que a lei de Deus não é a lei de Moisés, este mandamento sobre o serviço de cântico ( o louvor e instrumentação) não foi de Davi ou de Gate, mas de Deus!

15º) Existe algum momento da história do povo de Deus, em que os cânticos deles ofendiam ao Senhor? Amós 6:1,5;5:21-23. Você acha que esta situação pode se repetir com o povo de Deus em nossos dias? R:

 

No próximo estudo veremos a orientação profética para os nossos dias no que diz respeito à música. Convido você a fazer este próximo estudo dentro do Espírito de Profecia. Provérbios 29:18 Não havendo profecia, o povo se corrompe; mas o que guarda a lei, esse é feliz. 1 Coríntios 14:22… mas a profecia não é para os incrédulos, e sim para os que crêem. 1 Ts 5:20 Não desprezeis as profecias;

 

Publicado em Sem categoria

O Que importa mesmo são as intenções do coração?


O Que importa mesmo são as intenções do coração?
 
    Recentemente lí a seguinte declaração de um músico.
"Não importa como você canta, se é ao som de tambores ou de harpa, o que importa na verdade é a intenção do coração. Se vc deseja louvar a Deus, cada um louve de acordo com o desejo do seu coração"
 
    É verdade que as intenções do nosso coração são muito importantes, mas nem sempre as nossas intenções são determinantes para a aceitação de nosso louvor e nossa adoração diante de Deus.
 
    Há vários exemplos disso na Bíblia e nos escritos de Ellen G. White.
Vamos mencionar apenas um: O povo de Israel levantou imagens de bezerros de ouro e acreditavam estar prestando um culto a JEOVÀ.
 
    Êxodo 32:4Este, recebendo-as das suas mãos, trabalhou o ouro com buril e fez dele um bezerro fundido. Então, disseram: São estes, ó Israel, os teus deuses, que te tiraram da terra do Egito. 
 
    Salmos 106: 19Em Horebe, fizeram um bezerro e adoraram o ídolo fundido.20 E, assim, trocaram a glória de Deus pelo simulacro de um novilho que come erva.
 
    Ellen G.White confirma: "…Foi quando os filhos de Israel se assentaram a comer e a beber, e se levantaram para folgar, que se afastaram do temor de Deus, o qual haviam experimentado quando presenciaram a entrega da lei; e, fazendo um bezerro de ouro para representar a Deus, o adoraram. E foi depois de haverem fruído um banquete licencioso relacionado com a adoração de Baal-Peor, que muitos dos filhos de Israel caíram por causa da licenciosidade. A ira de Deus se levantou e a Seu mando "vinte e três mil" (I Cor. 10:8) foram feridos pela praga num dia." Atos dos Apóstolos, 316.
 
    Estou convencida de que, eu posso estar perdida e pensar que não, pensar que tenho paz e prosperidade, pensar que Deus está do meu lado, posso ter boas intenções e mesmo assim tomar atitudes que desagradam ao bom Deus e que me levem para longe dEle. (caso representado pela drácma perdida. Está perdida e nem sabe que está!).
 
    O que aconteceu com o povo israelita é uma prova disso, eles usaram a forma de culto comum de sua época (uma imagem pra representar Deus) e O cultuaram, não de acordo com a vontade dEle, mas de acordo com o mundo da época deles.
    E nós hoje, como estamos cultuando? Fazemos nossa própria imagem de Deus, usando a forma de culto que mais nos apetece (como fez também Caím e mais tarde Davi) .
    De acordo com a vontade de Deus, ou seguindo a cultura e os costumes de nossa época? Dizer que uma imagem é Deus, não faz esta imagem Deus. Não é chamando uma música mundana de hino, que ela se tornará um hino, ela vai continuar sendo música mundana. Não é colocando uma letra cristã, numa música mundana, que esta música se tornará cristã.
 
Será que se eu pegasse um filme pornô e colocasse nele alguma mensagem cristã, este filme se tornaria próprio pra ser assistido por mim ou pela minha família? Não! pois ele ainda seria um filme pornográfico.
    Devemos nos lembrar que as coisas do mundo não se convertem ao cristianismo, apenas as pessoas que se entregam a cristo podem se converter.
    No passado muitos líderes tentaram converter coisas do mundo em coisas cristãs, e o resultado foi a apostasia de boa parte da igreja de Deus.
 
    Hoje não é diferente, muitas pessoas, tentam tornar cristãs, suas músicas, suas roupas, sua vaidade, e têm a ilusão de que se conseguir colocar isto ou aquilo dentro da igreja, tais e tais coisas se tornarão santas. 
    Se amamos as coisas do mundo, e as trazemos conosco pra dentro da igreja, estas coisas, ainda serão do mundo, não se tornarão santas por estarem dentro da igreja.
 
    Aí então você pode pensar, mas então não podemos utilizar coisa alguma do mundo na causa de cristo, pois isto seria mundanismo. Não usaremos computador, televisão, projetor de vídeo, pois tudo isso é "coisa do mundo" e nenhuma delas foi inventada para a igreja ou pra uso dentro da igreja.
 
    Bem, Deus sabe o que poderia passar pela sua cabeça, então Ele deixou um claro assim diz o Senhor sobre o assunto.
 
    Sobre o uso de aparelhamento de comunicação, Ele deixou a seguinte o orientação:
 
"A maneira pela qual Deus usa os homens nem sempre é discernida, mas Ele o faz. Deus dotou os homens de talentos e capacidade inventiva, a fim de que seja efetuada a Sua grande obra em nosso mundo. As invenções da mente humana parecem proceder da humanidade, mas Deus está atrás de tudo isso. Ele fez com que fossem inventados os rápidos meios de comunicação para o grande dia de Sua preparação." Ellen G. White, Fundamentos da Educação, capítulo 51, Verdadeira Educação Cristã, (parágrafo 8º, final).
 
    Os meios de comunicação são invenções humanas, mas usadas por Deus, para que a Sua mensagem seja levada com maior rapidez nos últimos dias. Estes meios de comunicação do homem com o homem, podem mudar, podem variar. O homem é um agente humano para comunicar Deus ao homem! A mensagem da palavra de Deus pode estar sendo transmitida através de uma escrita na parede, na boca do profeta, nas linhas de um papiro ou na tela de um computador. O meio da transmissão da palavra pode mudar, mas a palavra é a palavra!
 
   Mas em relação à música, não acontece o mesmo. Apesar da música também poder ser usada para levar a mensagem em um segundo momento. O objetivo principal da música no culto é louvar a Deus, é oração cantada, é adoração!
 
É através da música que os nossos louvores se erguem Àquele que é a personificação da pureza e harmonia. É com música e cânticos de vitória que os redimidos finalmente tomarão posse da recompensa imortal. Ellen G. White, Mensagens Escolhidas, vol 3, capítulo IX, Conselhos Sobre Muitos Assuntos, 46 Música e Diretor de Música,  O Poder da Música.
 
Sobre esses estilos musicais modernos e cheios de batucadas culturais, o Senhor deu a seguinte revelação:
 
Tambores, Danças e Ruídos
As coisas que descrevestes… o Senhor revelou-me que haviam de acontecer imediatamente antes da terminação da graça. Demonstrar-se-á tudo quanto é estranho. Haverá gritos com tambores, música e dança. Os sentidos dos seres racionais ficarão tão confundidos que não se pode confiar neles quanto a decisões retas. E isso será chamado operação do Espírito Santo. Ellen G. White –
Eventos Finais, Capítulo 11, Enganos Satânicos nos Últimos Dias, (subtítulo: A Música Torna-se um Laço).
 
    Através do tempo, Deus planejou e permitiu o desenvolvimento tecnológico no setor da comunicação e planejou usar estes artefatos em Sua causa.
 
    No que diz respeito à música, Ele viu que isto se tornaria um laço, sob o disfarce de valor cultural e adoração multicultural. Pois de que outra maneira, nós os avisados, aceitaríamos tal música em nosso meio? Somente se isto se tornasse uma questão de respeito à cultura e à intenção do coração de nosso irmão que dança ao som dos tambores em honra a Jeová!
 
    Sob o disfarce de respeito, nos tornamos coniventes com o erro do qual fomos advertidos!
 
    Ele viu que esta música "estranha", gritos e tambores, música e dança fariam parte de uma teia que Satanás haveria de tecer ao redor de muitos "cristãos".
 
     "Algumas pessoas não se satisfazem com uma reunião, a menos que experimentem momentos de poder e de gozo. Esforçam-se por isto, e chegam a uma confusão dos sentimentos. A influência dessas reuniões, porém, não é benéfica. Ao passar o auge do sentimento, essas pessoas imergem mais fundo que antes da reunião, pois sua satisfação não proveio da devida fonte. As mais proveitosas reuniões para o bem espiritual, são as que se caracterizam pela solenidade e o profundo exame do coração, cada um procurando conhecer-se a si mesmo e, com sinceridade e profunda humildade, buscando aprender de Cristo." Testemunhos Seletos, vol. 1, pág. 161.
 
"…Nas igrejas que puder colocar sob seu poder sedutor, fará parecer que a bênção especial de Deus foi derramada; manifestar-se-á o que será considerado como grande interesse religioso. …Há um excitamento emotivo, mistura do verdadeiro com o falso, muito apropriado para transviar. Contudo, ninguém necessita ser enganado. À luz da Palavra de Deus não é difícil determinar a natureza destes movimentos. Onde quer que os homens negligenciem o testemunho da Escritura Sagrada, desviando-se das verdades claras que servem para provar a alma e que exigem a renúncia de si mesmo e a do mundo, podemos estar certos de que ali não é outorgada a bênção de Deus." O Grande Conflito, págs. 464 e 465.
 
Para um maior proveito, leia Ellen G. White, Mensagens Escolhidas, vol 3, capítulo IX, 46, Conselhos Sobre Muitos Assuntos; Música e Diretor de Música.
 
Adna Calson
 
Publicado em Sem categoria