Repetir-se-á o Primitivo Fanatismo

Remover os Marcos
Nosso povo precisa entender as razões de nossa fé e experiências passadas. Quão triste é que tantos deles pareçam pôr ilimitada confiança em homens que apresentam teorias tendentes a desarraigar-nos as teorias do passado e a remover os velhos marcos! Aqueles que podem ser tão facilmente levados por um falso espírito mostram que estiveram seguindo errado líder por algum tempo – tanto, que não discernem estar-se apartando da fé, ou que não estão construindo sobre o verdadeiro fundamento. Necessitamos rogar a todos que ponham os óculos espirituais, que tenham os olhos ungidos para que possam ver claramente e discernir as colunas verdadeiras da fé. Então hão de conhecer que “o fundamento de Deus fica firme, tendo este selo: O Senhor conhece os que são Seus”. II Tim. 2:19. Precisamos reviver os velhos sinais da fé uma vez entregue aos santos.
Toda concebível doutrina fantasiosa e enganosa será apresentada por homens que pensam possuir a verdade. Alguns estão agora ensinando que nascerão crianças na nova Terra. É isto verdade presente? Quem inspirou esses homens a apresentarem tais teorias? Deu o Senhor a alguém esses pontos de vista? – Não; as coisas reveladas são para nós e nossos filhos, mas quanto às não reveladas, e que não têm que ver com nossa salvação, o silêncio é eloqüência. Essas idéias estranhas nem deviam ser mencionadas, quanto mais ensinadas como verdades essenciais.
Chegamos a um tempo em que as coisas devem ser chamadas pelo verdadeiro nome. Como fizemos nos primeiros tempos, precisamos levantar-nos e, sob o Espírito de Deus, repreender a obra do engano. Alguns dos sentimentos agora expressos são o alfa de algumas das idéias mais fanáticas que podiam ser apresentadas. Ensinos semelhantes a esses que tivemos de enfrentar pouco depois de 1844, estão sendo ensinados por alguns que ocupam posições importantes na obra de Deus.
Em New Hampshire, em Vermont, e em outros lugares, tivemos de resistir à obra furtiva, enganadora do fanatismo. Pecados presunçosos eram cometidos, e alguns condescendiam francamente com concupiscências profanas, sob a capa de santificação. A doutrina do amor livre e espiritual era advogada. Vimos o cumprimento da escritura “que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios”. I Tim. 4:1. The Southern Watchman, 5 de abril de 1904.

Não se Requerem Demonstrações Corporais
A genuína religião não requer grandes demonstrações corporais. … Estas não são indício da presença do Espírito de Deus. Em 1843 e 1844 fomos chamados a enfrentar exatamente essa espécie de fanatismo. Homens diziam: Tenho o Espírito Santo de Deus. E entravam na reunião e rolavam como um arco; e como alguns não recebessem isto como sinal da operação do Espírito de Deus, eram considerados pessoas ímpias. O Senhor enviou-me ao meio deste fanatismo. … Alguns vinham a mim e perguntavam: Por que não vos unis a eles? Eu disse: Tenho outro Líder que não esse, Alguém que é manso e humilde de coração, Alguém que não fez nenhuma demonstração assim como estais fazendo aqui, nem tais vanglórias. Essas demonstrações não são de Cristo, mas do diabo. Manuscrito 97, 1909.
Pretensão de Estar Selado e Santo
Em 1850, meu marido e eu visitamos Vermont, Canadá, New Hampshire e Maine. As reuniões foram realizadas em casas particulares. Era então quase impossível alcançar os incrédulos. A decepção de 1844 confundira a mente de muitos, e não aceitavam qualquer explicação do assunto. Estavam impacientes e incrédulos, e muitos pareciam rebeldes, mostrando-se decididamente contra sua passada experiência adventista. Outros não ousavam ir tão longe, e negar a maneira por que o Senhor os conduzira. Esses alegravam-se em ouvir argumentos da Palavra de Deus que harmonizassem nossa posição com a história profética. Ao escutarem uma explicação do desapontamento que fora tão amargo para eles, viram que na verdade Deus os conduzira, e regozijaram-se na verdade. Isto despertou a mais cruel oposição da parte dos que negavam nossa experiência passada.

[Pessoas Que Não Podiam Pecar]
Tivemos, porém, elemento ainda pior a enfrentar em uma classe que pretendia estarem santificados, que não podiam pecar, que estavam selados e santos, e que todas as suas impressões e noções eram a mente de Deus. Pessoas conscienciosas foram iludidas pela pretensa piedade desses fanáticos. Satanás trabalhara astutamente para fazer com que esses enganados aceitassem o sábado, porquanto mediante sua influência, ao mesmo tempo que professavam crer parte da verdade, ele podia impingir ao povo grande número de erros. Podia também usá-los com proveito para desagradar os incrédulos, que apontavam esses incoerentes e irrazoáveis como representantes dos adventistas do sétimo dia. Essa classe exigia do povo provas e cruzes de feitura humana, que Cristo não lhes dera a carregar.
Eles pretendiam curar os doentes e operar milagres. Possuíam poder satânico, fascinante; eram, todavia, despóticos, ditatoriais e cruelmente opressivos. O Senhor usou-nos como instrumentos para repreender esses fanáticos, e abrir os olhos de Seu povo fiel para o verdadeiro caráter da obra deles. Paz e alegria vieram ao coração daqueles que romperam com esse engano de Satanás, e glorificaram a Deus ao ver Sua infalível sabedoria no pôr diante deles a luz da verdade e seus preciosos frutos em contraste com as heresias e enganos satânicos.
A verdade brilhou em contraste com esses enganos qual ouro puro entre a escória da Terra. Review and Herald, 20 de novembro de 1883.

Manchando a Santidade da Obra
Estou incumbida de conservar diante de nosso povo – ministros do evangelho, e todos quantos professam comunicar ao mundo a luz da verdade – o perigo de manchar a santidade da obra de Deus mediante consentir mentalmente com uma interpretação vulgar da maneira por que Deus deseja que Sua obra seja feita. Tenho tido instruções especiais relativamente a serem introduzidos planos e invenções humanos na obra de dar a conhecer ao mundo a verdade para este tempo.
Foi repetidamente ordenado em anos anteriores que falasse em protesto contra os esquemas fantasiosos e proibidos que têm sido apresentados por uns e por outros. Minha mensagem tem sido sempre: Pregai a Palavra com simplicidade e com toda a humildade; apresentai ao povo a verdade clara, pura. Não abrais a porta a movimentos fanáticos, pois a influência deles é trazer confusão de espírito, desânimo e falta de fé ao povo de Deus. …
Sempre que tenho sido chamada a enfrentar o fanatismo em suas várias formas, tenho recebido instruções claras, positivas e definidas para levantar a voz contra sua influência. Da parte de alguns, o mal se tem revelado na forma de provas de feitura humana para verificar o conhecimento da vontade de Deus; e foi-me mostrado que isto era um engano que se tornava absorção, e que é contrário à vontade do Senhor. Se seguirmos tais métodos, seremos achados ajudando o inimigo em seus planos. Em tempos passados, alguns entre os crentes tinham grande fé em estabelecer sinais pelos quais decidir seu dever. Alguns tinham tal confiança nesses sinais que homens foram tão longe que trocaram de esposas trazendo assim adultério para dentro da igreja.
Foi-me mostrado que enganos como aqueles que fomos chamados a enfrentar nas primeiras experiências da mensagem, repetir-se-iam, e que teremos de enfrentá-los nos últimos dias da obra. É requerido de nós, neste tempo, pôr todas as nossas faculdades sob o controle de Deus, exercitando-as em harmonia com a luz que Ele deu. Lede os capítulos quatro e  cinco de Mateus. Estudai Mateus 4:8-10; também Mateus 5:13. Meditai na sagrada obra levada avante por Cristo. É assim que os princípios da Palavra de Deus devem ser introduzidos em nossos labores. Carta 36, 1911.

Manter a Conduta Adequada
Passado o tempo de 1844, o fanatismo entrou nas fileiras dos adventistas. Deus deu mensagens de advertências para deter esse novo mal. Havia excessiva familiaridade entre alguns homens e mulheres. Apresentei-lhes a santa norma da verdade que deveríamos alcançar, e a pureza de conduta que nos cumpria manter, a fim de alcançar a aprovação de Deus e ser sem mancha nem ruga ou coisa semelhante. Soleníssimas acusações da parte de Deus foram feitas a homens e mulheres cujos pensamentos estavam fluindo em direção impura, ao passo que pretendiam ser especialmente favorecidos por Deus; mas a mensagem dada por Deus foi desprezada e rejeitada. …
Não nos achamos mesmo agora fora de perigo. Toda alma que se empenha em dar ao mundo a mensagem de advertência será rudemente tentada a seguir um modo de viver que seja negação da fé.
Como obreiros, precisamos estar unidos em franzir a testa e condenar qualquer coisa que apresente a mínima aproximação do mal, em nossa associação uns com os outros. Santa é nossa fé; nossa obra é reivindicar a honra da lei de Deus, e não de caráter que rebaixe alguém a nível inferior em pensamentos e conduta. Muitos há que professam crer e ensinar a verdade, e têm erros e idéias fantasiosas deles próprios de mistura com a verdade. Há, porém, exaltada plataforma para ocuparmos. Importa crermos e ensinarmos a verdade tal como é em Jesus. A santidade de coração jamais conduzirá a ações impuras. Quando alguém que pretende estar ensinando a verdade se inclina a estar muito em companhia de mulheres jovens ou mesmo casadas, quando põe familiarmente a mão em sua pessoa, ou é achado a conversar com elas de maneira familiar, temei-o; os puros princípios da verdade não estão entretecidos em sua alma. Tais pessoas não são coobreiros de Jesus; não estão em Cristo, e Cristo não habita neles. Eles necessitam inteira conversão antes de Deus lhes poder aceitar a adoração. A verdade de origem celeste nunca rebaixa aquele que a recebe, não o leva nunca à mínima aproximação de indevida familiaridade; ao contrário, santifica o crente, apura-lhe o gosto, eleva-o e enobrece, e coloca-o em íntima ligação com Jesus. Fá-lo considerar a recomendação do apóstolo Paulo de abster-se de toda aparência do mal, para que seu bem não seja blasfemado. Review and Herald, 10 de novembro de 1885.

Fonte: Ellen G. White; Livro: Mensagens Escolhidas, vol2, p.24 a 30.

Anúncios

Sobre Adna

Sou Cristã, pertencente à Adventista do Sétimo Dia, nascida nesta igreja, frenquentadora, ativa, dizimista... sou esposa, mãe e professora. Gosto de ler, estudar, pregar, partilhar do amor de Deus com as pessoas! Este espaço é para divulgar a minha fé em um Deus amoroso e justo, na Sua palavra e nos ensinamentos dos Seus profetas!
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.